Páginas

sábado, 6 de outubro de 2018

Inscrições para o processo seletivo EEDMO (Theatro Municipal - RJ) - 2019

De 15 a 31 de Outubro!
MOÇAS E RAPAZES COM IDADE ENTRE 8 E 21 ANOS.
DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:
☑️2 FOTOS 3×4
☑️CERTIDÃO DE NASCIMENTO (XEROX)
☑️ATESTADO MÉDICO (ORIGINAL)
☑️ATESTADO DE ESCOLARIDADE (ORIGINAL)
☑️COMPROVANTE DE RESIDÊNCIA (XEROX)
☑️TAXA DE INSCRIÇÃO: 60 REAIS
🔴IDADE MINIMA 8 ANOS
(Até a data da prova)

Horário: 9:00 às 12:00 / 14 às 17:00 (Seg a sex)
Endereço: Avenida Almirante Barroso, 14. – 3° Andar (Prédio Anexo do Theatro Municipal)
(21) 2332-9129

📸 Foto:Paula Pache

sábado, 29 de setembro de 2018

Eu também tenho a convicção de que Lula é culpado...


Apesar de ter recebido de herança de FHC um salário mínimo de US$86 dólares. É culpado de ao término de seu governo, o mesmo valer US$297 dólares. Elevou o nível econômico de 40 milhões de brasileiros e brasileiras. Tirou 11 milhões da mais absoluta condição de fome e miséria. Criou 422 escolas técnicas, 18 universidades federais, 173 novos campi universitários. Mais de 7,1 milhões de estudantes em universidades. Esses são apenas alguns números dos governos Dilma e Lula na educação. #LulaLivre

Marielle Franco, um escudo, daquelas sem voz.

Quem oprime o homem branco? Apenas outros homens brancos possuidores de maior capital. Quem oprime a mulher branca? O homem branco. Quem oprime o homem preto? O homem branco e a mulher branca. Quem oprime a mulher preta? Todos os listados acima. Era exatamente aí que estava Marielle Franco: na base da pirâmide, defensora, um escudo, daquelas sem voz, sem direito à justiça, depreciadas, violentadas, invisíveis... #Mariellepresente

Receita! Como obter mão de obra barata?

1ª) aprove uma reforma trabalhista que precarize os diretos do trabalhador;

2ª) legitime a terceirização irrestrita de trabalhadores para atividades-fim;

3ª) garanta o fracasso do sistema público de educação, onde 7 em cada 10 alunos que concluam o ensino médio no país (leia-se, a população mais pobre!) apresentem níveis insuficientes em português e matemática. Conforme resultados da Prova Brasil, com Dados do Saeb 2017;

4ª) Eleja candidatos que defendam tudo isso! 

L.L.

O ministro Luiz Fux, do STF, num claro ataque aos valores mais básicos da democracia.


O ministro Luiz Fux, do STF, num claro ataque aos valores mais básicos da democracia, e repetindo a prática - já usual - da 12ª Vara Federal em Curitiba que proibira entrevistas com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, suspendeu na noite desta sexta, dia 28 de setembro de 2018, uma liminar anteriormente concedida pelo ministro Ricardo Lewandowski que autorizava Lula de dar entrevista à Folha de São Paulo na prisão. Não satisfeito com tal decisão arbitrária, o ministro Luiz Fux vai além: ressuscita a CENSURA quando determina que se a entrevista já tiver sido realizada, sua divulgação estará proibida. 
Apesar da decisão de Lewandowski em afirmar categoricamente que "não raro, diversos meios de comunicação entrevistam presos por todo o país, sem que isso acarrete problemas maiores ao sistema carcerário [...] Portanto, permitir o acesso de determinada publicação e impedir o de outros veículos de imprensa configura nítida quebra no tratamento isonômico entre eles, de modo a merecer a devida correção de rumos por esta Suprema Corte", o “ilustríssimo” magistrado Fux em sua sentença determina “[...]que o requerido Luiz Inácio Lula da Silva se abstenha de realizar entrevista ou declaração a qualquer meio de comunicação, seja a imprensa ou outro veículo destinado à transmissão de informação para o público em geral". 
Até mesmo a Folha de São Paulo, através das palavras de seu advogado Luís Francisco Carvalho Filho, manifestou-se afirmando que "a decisão do ministro Fux é o mais grave ato de censura desde o regime militar. É uma bofetada na democracia brasileira. Revela uma visão mesquinha da liberdade de expressão".
Fux, claramente, muito menos que um ministro do STF, e com toda probidade que o cargo exige, agiu político-partidariamente com o objetivo de calar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mesmo que o preço a se pagar seja o de impedir a livre expressão e o exercício do jornalismo. 

L.L.